Posts com Tag ‘Paetês’

Dizem por aí que os anos 90 são os novos anos 80, em termos de referências de moda para a década de 2010. Parece confuso? Muitas décadas juntas numa só oração? Então que tal acrescentar os anos 40, 50, 60 e 70? Too much information? Mas é justamente essa salada de referências passadas que estamos vivenciando na moda de hoje.

Fotografia de moda de 2010

Da década de 40 voltou com força o militarismo, os espartilhos, o tweed. Uma das mais recentes coleções da Louis Vuitton remete à década de 50, assim como a feminilidade ladylike, a silhueta de cintura fina seguida de saia bem rodada e longa, alternando com a saia lápis, o tailleur, os vestidos arquitetônicos, as plumas e os paetês. Já de referências sessentistas temos as flores nos cabelos, um quê de futurismo, o coque alto na cabeça à la Brigitte Bardot. Da década de 70 visualizamos o tie-dye, o étnico, a força do jeans, as jaquetas de couro, o natural look (maquiagem com cara de não-me-maquiei) que foi desfilado na última SPFW como tendência para este verão, o tricô. No âmbito dos anos 90 temos a volta do minimalismo, a camisa xadrez do grunge, o glamour jet-setter (Tom Ford dos anos 90), a exuberância barroca. E a própria década de 80 continua mostrando o ar da graça com o espírito aeróbico através de uma moda mais esportiva, tornezeleiras, ou melhor, polainas (!), o navy e o estilo sagrado e profano ditado pela Madonna, dentre outras TANTAS referências de todas essas décadas.

Afinal, dá pra se falar em “novos anos 80” com tantas referências intertemporais?

Em palestra intitulada “Trinta anos de moda no Brasil – um olhar“, conduzida durante o Barra Fashion Mall, a jornalista Marília Scalzo abordou, além da história da moda brasileira a partir da década de 80, as conexões dessa moda com cultura e comportamento, destacando o surgimento das tribos e como estas evoluíram até os dias de hoje. Após palestra, conversei com a jornalista sobre algumas conclusões que poderiam ser auferidas a partir de tais informações e contextualizá-las aos dias de hoje.

A jornalista Marília Scalzo palestra sobre história da moda no Brasil - Barra Fashion Mall

Pois bem, segundo Marília Scalzo apresentou, as tribos ganharam destaque na década de 80. Bem definidas, cada indivíduo pertencente a uma tribo era facilmente identificável. Todavia, com a evolução do mundo e da sociedade, a velocidade da informação (principalmente da informação de moda) aproximou a convivência dessas tribos de tal modo que nas décadas seguintes já era possível perceber a presença de variadas tribos num só indivíduo: multifacetado, “pluri-estilizado”! A “patricinha” de dia poderia virar uma funkeira à noite, dentre outros aparentes paradoxos que já não são estranhos aos nossos olhos. E hoje já é até muito comum identificar a presença de várias tribos num só look!

Daí porque se pararmos para entender tantas referências a diferentes décadas do passado, percebemos que estas podem conviver na moda tal como as tribos: cada uma contribuindo com o melhor que tem para oferecer.

E por que a moda de determinada década volta? Qual a necessidade dos anos 80, 90 ou qualquer outra década voltar a ser “tendência” de moda?

Segundo Marília, coisas boas do passado sempre voltam pelo simples fato de que elas são boas e, portanto, sempre aproveitáveis. As referências do passado vão e voltam, conforme a necessidade de moda de determinado contexto. Assim, no pós anos 90 não se podia mais ouvir falar em minimalismo – de tão minimalista que foi a moda deste período – e hoje, após um período de descanso (leia-se: uma década!), o minimalismo volta para agradar novamente os olhos cansados dos excessos da década anterior.

Campanhas recentes da Prada, Louis Vuitton e Guess

Assim, os anos 90 podem até serem os novos anos 80, mas não estão sozinhos nessa caminhada: a convivência com as diversas referências do passado se faz presente e é cada vez mais uma tendência para a moda: o convívio de “tribos e referências” num só contexto.

E pra fechar de uma forma filosófica, uma revelação bombástica: nem anos 90, nem anos 80, nem nada: tudo o que volta retorna com novos olhares – os olhares de 2010! Portanto se você acha que vai voltar a usar a modinha dos anos 50, esqueça! E aquele seu moletom do Planet Hollywood e a bolsinha estilo mochilinha que você guardou com tanto carinho no maleiro na esperança de usá-los novamente? Cesta de doação djá! A não ser que você queira incorporar o estilo vintage ao seu look, que não necessariamente te deixará “na moda”! O que passou não volta igual, e tudo o que usamos hoje, por mais grunge (90), punk (80) ou hippie (70) que seja, é uma moda exclusiva de 2010!

Pobres consumidores…

A mulher de ontem e a mulher de hoje

Algumas referências históricas: Guia Fashion Iguatemi; Comunidade Moda anos 40 e anos 60.

Se você chorou com o desfile da Adriana Degreas na SPFW, não é a Eva Herzigova nem a Shirley Mallmann, e ainda não está preparada para investir em trajes de banho o mesmo montante que você investiria em imóveis, mas mesmo assim quer brilhar muito neste verão, há uma alternativa relativamente saudável para isto! Quer dizer…

Maiô + Blazer

A coordenação do maiô (poderoso!) com o blazer (sofisticação) gera todo esse luxo e riqueza no look do verão, que pode ir do iate à areia, variando e adaptando os modelos do blazer a cada situação. Brilho, paetês, lamê ficam perfeitos em eventos à beira da piscina e pool parties regadas à champã e morango! Mas dá pra usar tweed, pied-de-poulenavy, dá pra usar oncinha (!), dá pra associar as últimas tendências ao blazer, para garantir um visual fashionista e atualizado.

Mas se você realmente não está afim de jogar na areia aquele seu blazer caro e formal que vc usa, inclusive, no escritório, pode apostar na jaqueta jeans. E se tiver ombros marcados, mais atual! Porque quanto mais surrada a sua jaqueta jeans ficar, melhor: sinal de muitas aventuras por trás daquela peça, e se as histórias forem de verão, aí a peça vira até relíquia! 😉 

A cereja do bolo: salto alto. Dica: os mais grossinhos e de madeira ajudam a manter a pose (em meio a terrenos derrapantes e movediços)!

De temporada em temporada o Style.com divulga uma lista dos acessórios mais-mais das marcas mais-mais-mais da estação. Ankle boots ainda reinam soberanas, mas desta vez com alguma variação: open boots, fivelas, cadarços.. Quer ver a lista completa das tendências dos sapatos de outono-inverno? Então separa a sua polaina mais bonita, pega a sua caneta Bic Azul Klein e anota aí (#Katylene feelings):

1. Fivelas


2. Peles e pelos


3. Coturno de salto


4. Oxford de salto


5. Franja


6. Salto trabalhado


7. Veludo

8. Grafismo


9. Renda


10. Asas


11. Recortes


12. Floral 3D


13. Botinha branca


14. Brilho/ Paetês


Seja no bloco, seja no camarote, seja no carnaval ou no ensaio de verão, chega dos modelos-clichê de abadá né? Customizar o abadá com rasgões, fitinhas, amarrações é legal, mas… vamos andar na tendência? Porque carnaval é uma festa e já chega de ir vestida de guerra, né?

Tendência: Abadá picotado + malha efeito segunda-pele

Então, depois de frequentar tantos ensaios de verão na Bahia, percebi uma tendência que tá pegando para aquelas que querem picotar geral o abadá, mas não querem se expor demais (hi-lo do abadá?). É o uso de bodies, camisetas justinhas, malhas ou collants por baixo da rasgação!

Essa inspiração ganhou força no último desfile da Cavalera - SPFW

Daí que como eu vou pras festas e não levo a máquina, saí buscando nos sites que fazem a cobertura digital da Folia, e olha só as modernetes que encontrei:

Logotipo na parte de trás

Já que é pra transformar, olha a criatividade. E fica a dica que, com o logo atrás, dá pra decotar geral na frente!!

Vestidinho de abadá

Se vc conseguir pegar uma camisa GG, dá pra fazer um super vestidinho! Tem o modelo abaixo, e tem a possibilidade de fazer tomara-que-caia com a adição de alcinhas de cetim ou de qualquer outro tecido. E tem também a possibilidade de sua amiga picotar o abadá dela e sobrar pano pra vc remendar o seu vestido! A costureira sabe fazer! Já usei assim, fez sucesso!

Mistura de texturas

Porque nessa onda dos remendos, falta pano. E faltando pano, vamos nos jogar na tendência do mix de texturas de uma mesma cor (ou mix de cores de uma mesma textura – ok, é carnaval)!

Cinto por cima do abadá

Que todo mundo usa cintão no shortinho não é novidade. Mas usar o cintinho assim por cima é tendência! Sugestão? Cintão! Pra mergulhar na tendência e ahazar !

Paetês

O ano-balada pede muito brilho! Já vi aplicação de paetês nas alças, no logo, numa tirinha na divisória do busto. Mas dá pra criar mais! Dá pra pensar em várias tironas, por exemplo! Estilo as tiras do Balmain, tipo na foto que aparece mais adiante no post.

Tachas

Vamos brincar um pouquinho de pensar novas possibilidades de transformação de abadás para pegar as tendências do momento? Então  a dica pra aproveitar esse feeling de aplicações é a TACHA!! Mas, por  favor, nada de tachar o logotipo heim? Que ele some e vc não entra na festa!!

Paetês seguindo a cor do logotipo ficariam ainda mais glamour

Transparência

Oi? Vocês já pensaram em inverter o abadá em top (daqueles que usa por baixo do “abadá”) e usar uma capinha transparente por cima? Olha que legal ficaria!

Ombros

E se o abadá for camisetinha… oba! Dá pra brincar mais, dá pra arrasar no ombrão decorado aplicando paetês, correntes, e outras cositas disponíveis na caixinha de costura!

Fetichismo

Aplicando ilhoses já dá aquele tchan sensual! Não vai precisar nem apelar pro shortinho gera-samba.

Zíper aparente

Lateral, pra não destruir o logo!! Pelamor!!

Correntes

Onde der e vier. Corrente é a nova tacha.

Não-transparência

Uau! Já que as meninas baianas tão usando malhas pra aderir ao trituramento quase absoluto de abadás (haha), que tal arrasar no decotão e segurar a onda com tecidos transparentes? Para não destruir o logo: pega a dica da menina lá de cima e veste ele na parte de trás da blusa!

Esferas

Será? Quem tiver na avenida de aplicações esféricas no abadá será tipo musa do verão!!!!!

Para quem é musa absoluta do verão, trend setter total da folia. Onde acha pra comprar???

Alternativas para dar um upgrade no seu abadá:

Não sabe costurar? O dindin da costureira o Camaleão levou? Tá sem tempo? Comprou de última hora na mão do cambista a poucos minutos de começar a folia? Então segue essas dicas:

Investir no top

Fluo, neon, de paetês, pra abalar na tendência!

Colete

Macaquinho no lugar do shortinho

Saias estampadas


Rasgação Balmain inspired

Vai rasgar? Que seja com estilo!

Se é pra rasgar, vamos sair de Balmain!

Imagens da folia:

http://www.salvadorfolia.com.br

http://www.portalibahia.com.br/issa

http://www.festasefarras.com.br/