Posts com Tag ‘Anos 50’

Aqui no blog tem as tendências das principais fashion weeks pelo mundo, e as principais do Brasil, e até as de vestidos de noivas, mas, de todas, a que eu mais gostei de analisar foi essa desse post aqui: o Barra Fashion Mall! Tendências da minha terra, com desfiles que eu vi ao vivo, tive acesso aos releases, enfim, não poderia ser mais perfeito!

Então você baiana que quer saber o que já está bombando nas araras das lojas de Salvador para se preparar para o verão (ou melhor, pra usar djá, que o verão já chegou por aqui), ou você turista que quer saber o que vai estar em alta na terra do axé, ou você leitora do mundo jet setter que adora saber uma novidade, se liguem nas tendências mais quentes:

1. Volume

Se vc cansou da silhueta apertadinha com aquela bolsinha apertadinha, sapatinho meia pata apertadinho, pra chegar na Just 1 ou na club Ego e tentar arriscar sem sucesso alguns passinhos de dança, já pode respirar aliviada! Está chegando como alternativa uma modinha mais solta, mais volumosa, de silhueta mais confortável, seja nas sainhas, seja na parte de cima, seja no vestido como um todo!

E essa tendência do volume traz também o efeito 3D, que é essa parte de pano que salta da roupa, seja babadinho, seja em formato mais estruturado/arquitetônico, seja o floral 3D. Acho bem moderno, apesar de que sair toda trabalhada no volume é meio arriscado e quebra bastante a feminilidade do look. Mas um pouquinho de volume faz super bem se localizado em regiões estratégicas! ;o)

2. Assimetria

A modinha de um ombro só está nas alturas, pode se apegar a ela! Mas não só de um ombro se vive a assimetria, e os vestidos de cortes irregulares também entram na onda! Esse vestido estilo o da Mari Weickert (Alphorria) vai brilhar nas festonas noturnas de verão.

3. Transparências

E o desfile coletivo da Vivire heim? Todo na tendência das transparências, do jogo do mostra-esconde que fica perfeito em se tratando de praia, quando mostrar o biquini está liberado geral (diferente de mostrar a lingerie né?). Mas quando não se está na praia, vale apostar na não-transparência, usando a peça fina por cima das roupas como uma “capinha” ou dando um efeito sombreado. Assim, a transparência vai até o vestido de festa (Fábio Sande) evidenciando o não óbvio.

4. Cintura alta

Continua forte. Não só nas saias, mas também nos shorts e biquinis, sempre curtos, bem verão.

5. Desenhos geométricos

É a estampa da vez! Floral está sempre em alta, principalmente na primavera-verão, mas pra ficar com cara de século XXI, embarque na geometria. Misturar estampas geométricas então… é informação de moda das boas para o seu look!

6. Foco nos colares

Os colares neste verão serão extensão da roupa, muitas vezes atraindo o foco para si. Quanto mais pedras, quanto mais voltas, quanto mais colares, e aí, de quebra, vc já pode até virar baiana do acarajé ! Hehe ;D

Mas, vejamos, olha que riqueza esses modelos abaixo, e olha que diferenciado esse colar com efeito de renda da Nina! E o mais atual são as jewel-encrusted clothing, que são aquelas roupas que já dão o efeito de colar ou outras jóias costuradas na própria peça! É super tendência e foi aposta da Alphorria e do estilista baiano Fábio Sande. Muito glamour!

7. Macacão

Desde o verão passado que a tendência vem se fortalecendo, e agora está mais fácil achar macacões ou macaquinhos dos mais diversos modelos por aqui. E os dessa vez são mais soltinhos, seguindo a tendência da silhueta solta, com pantalonas, gancho baixo, ou efeito “blusê” na parte de cima. Macacão é tudo de bom no verão!

Querem saber mais? Na coletiva de imprensa do Barra Fashion Mall, a estilista da Alphorria, Edna Thibau, “largou o doce” de mais algumas tendências boas deste verão:

8. Cores vibrantes x Nude x Azúis fortes, verde água e turquesa;

9. Estampas com movimento (águas, ecológicas e curvas);

10. Fluidez;

11. Flores / estampa liberty;

12. Minimalismo;

13. Romântico;

14. Tecidos memories (tecidos que têm memória! Desamassam facilmente), evidenciando os minerais: ouro, prata e bronze;

15. Seda casual de leve à pesada. Delavadas e as estonadas;

16. Linho amassado, com leve brilho e no jeans;

17. Shape drapeado (olha aí a opção pra quem adora um shape mais coladinho);

18. Vestido tubo;

19. Manga curta e elaborada / Origami na manga;

20. Cintura marcada;

21. Saia lápis;

22. Saia godê (anos 50 e 60);

23. Pantalona;

24. Gancho baixo continua só que desta vez na calça cenoura (e a saruel perde força);

25. Calçados altíssimos e muita madeira.

Imagens: Débora Paes
Montagens: Caçadora de Tendências
Anúncios

Dizem por aí que os anos 90 são os novos anos 80, em termos de referências de moda para a década de 2010. Parece confuso? Muitas décadas juntas numa só oração? Então que tal acrescentar os anos 40, 50, 60 e 70? Too much information? Mas é justamente essa salada de referências passadas que estamos vivenciando na moda de hoje.

Fotografia de moda de 2010

Da década de 40 voltou com força o militarismo, os espartilhos, o tweed. Uma das mais recentes coleções da Louis Vuitton remete à década de 50, assim como a feminilidade ladylike, a silhueta de cintura fina seguida de saia bem rodada e longa, alternando com a saia lápis, o tailleur, os vestidos arquitetônicos, as plumas e os paetês. Já de referências sessentistas temos as flores nos cabelos, um quê de futurismo, o coque alto na cabeça à la Brigitte Bardot. Da década de 70 visualizamos o tie-dye, o étnico, a força do jeans, as jaquetas de couro, o natural look (maquiagem com cara de não-me-maquiei) que foi desfilado na última SPFW como tendência para este verão, o tricô. No âmbito dos anos 90 temos a volta do minimalismo, a camisa xadrez do grunge, o glamour jet-setter (Tom Ford dos anos 90), a exuberância barroca. E a própria década de 80 continua mostrando o ar da graça com o espírito aeróbico através de uma moda mais esportiva, tornezeleiras, ou melhor, polainas (!), o navy e o estilo sagrado e profano ditado pela Madonna, dentre outras TANTAS referências de todas essas décadas.

Afinal, dá pra se falar em “novos anos 80” com tantas referências intertemporais?

Em palestra intitulada “Trinta anos de moda no Brasil – um olhar“, conduzida durante o Barra Fashion Mall, a jornalista Marília Scalzo abordou, além da história da moda brasileira a partir da década de 80, as conexões dessa moda com cultura e comportamento, destacando o surgimento das tribos e como estas evoluíram até os dias de hoje. Após palestra, conversei com a jornalista sobre algumas conclusões que poderiam ser auferidas a partir de tais informações e contextualizá-las aos dias de hoje.

A jornalista Marília Scalzo palestra sobre história da moda no Brasil - Barra Fashion Mall

Pois bem, segundo Marília Scalzo apresentou, as tribos ganharam destaque na década de 80. Bem definidas, cada indivíduo pertencente a uma tribo era facilmente identificável. Todavia, com a evolução do mundo e da sociedade, a velocidade da informação (principalmente da informação de moda) aproximou a convivência dessas tribos de tal modo que nas décadas seguintes já era possível perceber a presença de variadas tribos num só indivíduo: multifacetado, “pluri-estilizado”! A “patricinha” de dia poderia virar uma funkeira à noite, dentre outros aparentes paradoxos que já não são estranhos aos nossos olhos. E hoje já é até muito comum identificar a presença de várias tribos num só look!

Daí porque se pararmos para entender tantas referências a diferentes décadas do passado, percebemos que estas podem conviver na moda tal como as tribos: cada uma contribuindo com o melhor que tem para oferecer.

E por que a moda de determinada década volta? Qual a necessidade dos anos 80, 90 ou qualquer outra década voltar a ser “tendência” de moda?

Segundo Marília, coisas boas do passado sempre voltam pelo simples fato de que elas são boas e, portanto, sempre aproveitáveis. As referências do passado vão e voltam, conforme a necessidade de moda de determinado contexto. Assim, no pós anos 90 não se podia mais ouvir falar em minimalismo – de tão minimalista que foi a moda deste período – e hoje, após um período de descanso (leia-se: uma década!), o minimalismo volta para agradar novamente os olhos cansados dos excessos da década anterior.

Campanhas recentes da Prada, Louis Vuitton e Guess

Assim, os anos 90 podem até serem os novos anos 80, mas não estão sozinhos nessa caminhada: a convivência com as diversas referências do passado se faz presente e é cada vez mais uma tendência para a moda: o convívio de “tribos e referências” num só contexto.

E pra fechar de uma forma filosófica, uma revelação bombástica: nem anos 90, nem anos 80, nem nada: tudo o que volta retorna com novos olhares – os olhares de 2010! Portanto se você acha que vai voltar a usar a modinha dos anos 50, esqueça! E aquele seu moletom do Planet Hollywood e a bolsinha estilo mochilinha que você guardou com tanto carinho no maleiro na esperança de usá-los novamente? Cesta de doação djá! A não ser que você queira incorporar o estilo vintage ao seu look, que não necessariamente te deixará “na moda”! O que passou não volta igual, e tudo o que usamos hoje, por mais grunge (90), punk (80) ou hippie (70) que seja, é uma moda exclusiva de 2010!

Pobres consumidores…

A mulher de ontem e a mulher de hoje

Algumas referências históricas: Guia Fashion Iguatemi; Comunidade Moda anos 40 e anos 60.